Conferência de imprensa de apresentação da edição de 2006 do Carnaval

Sexta, 13 de Janeiro


Ontem, Câmara Municipal (CME) e ACE apresentaram, em conferência de imprensa, a edição de 2006 do Entrudo. Coube ao Presidente da ACE, Pedro Mendes, avançar com a programação que terá início a 18 e decorrerá até dia 28 de Fevereiro. “Um programa aliciante para que os estarrejenses e não só venham ao nosso Carnaval”.


2500 lugares sentados

Este ano, serão disponibilizados mais mil lugares sentados no circuito do corso adulto. O reforço do número de bancadas para quatro eleva para 2500 o número de lugares sentados.

Conforme explicou o Vice Presidente da CME, Abílio Silveira, que representa a Autarquia na direcção da ACE, “queremos criar melhores condições para quem assiste aos desfiles”, disse sublinhando que o Carnaval “é o maior cartaz de Estarreja”.


Percurso

O percurso mantém-se no centro da Cidade de Estarreja havendo ligeiras alterações que tornam o desfile mais funcional. Os grupos formam e começam a desfilar na Avenida Visconde de Salreu, passam em frente ao Edifício dos Paços do Concelho, seguem para a Rua dos Bombeiros Voluntários e, ao invés de regressarem à Avenida Visconde de Salreu passando pela Rua Visconde de Valdemouro (frente ao Cine Teatro), terminam o desfile saindo pelo lado oposto, ou seja, pela Rua Dr. Manuel Andrade, a entrada sul da Cidade.

Esta solução pretende evitar confusão uma vez que o início e o corpo da marcha nunca colidem permitindo um desfile cadenciado.

O preço dos ingressos para peões é de 5 euros e as crianças até aos 12 anos não pagam. O valor das bancadas oscila entre os 2,5 e os 4 euros. O local de venda passa a ser o Cine Teatro de Estarreja.


Carnaval Infantil

Uma semana antes do Entrudo, no dia 19, sai à rua o Carnaval Infantil, uma organização da CME. A personagem interpretada por Carlos Alberto Vidal, “O Avô Cantigas”, conserva a coroa. O Rei dos foliões mais pequenos dará um espectáculo após o desfile.

As entradas para o Carnaval Infantil serão livres, com excepção das bancadas cujo preço terá um valor simbólico. A Autarquia espera atingir o total de 1200 figurantes. Para já, está confirmada a presença de 800 crianças.


Noites

Para as noites do Carnaval, Pedro Mendes promete surpresas e diz que “é uma boa programação com algumas novidades e melhorias em relação ao ano anterior”. A tenda, instalada na Praça Francisco Barbosa e que deu resultados negativos em 2005, deixa de ser o palco das festas da ACE que passam a acontecer no armazém da Sorepane, na Arrotinha.

A entrada global para as 4 noites de festas temáticas custa 12 euros e é mais económica do que o bilhete único (dias 18 e 25 – 6 euros; dia 26 – 2 euros; dia 27 - 7 euros). Será hoje divulgado o regulamento para concessão dos bares das Festas Sorepane, aberta aos grupos e a outros interessados, com a finalidade de dinamizar o espaço e angariar receitas.


Orçamento de 130 mil euros

A ACE aprovou, a 29 de Dezembro, o Orçamento para o Carnaval de 2006. Este ano, o evento irá absorver uma verba que ronda os 130 mil euros. O documento foi aprovado em Assembleia-geral, por unanimidade, pelos grupos de Carnaval. Os principais objectivos da direcção eleita recentemente são “a estabilidade financeira e o crescimento do Carnaval de Estarreja”.

O presidente da ACE, Pedro Mendes, garante que a redução do valor do Orçamento não terá implicações negativas na qualidade do principal cartaz de Estarreja. “Apesar do orçamento ser mais baixo, tal não representa uma diminuição da qualidade do nosso Carnaval, uma vez que a Câmara Municipal assume um papel preponderante na organização”.

Além disso, o subsídio dos grupos irá manter-se. A fatia total destinada aos grupos ronda os 99 mil euros sendo esta a maior despesa a desembolsar pela ACE. “O bolo maior é para subsidiar os grupos para que eles melhorem a qualidade do nosso Carnaval”, referiu o tesoureiro da direcção da ACE, Paulo Tavares.

A bilheteira é a principal fonte de receitas estimando-se uma entrada de 150 mil euros. A Câmara assegura um subsídio de 30 mil euros e o pagamento do cachet do Rei (6050 euros).


Protocolo ACE E CME

O contrato-programa celebrado entre a Câmara e a ACE pretende “estabelecer uma melhor definição de tarefas entre as partes, obtendo-se uma gestão mais rigorosa” e visa “a responsabilização acrescida das tarefas de cada uma das entidades, o que permite um maior controlo e rigor de todo o processo, como é objectivo comum dos responsáveis”, refere a proposta da Câmara que foi aprovada em reunião camarária.

Abílio Silveira deu conta dessa “estreita e profícua colaboração”. O contrato programa estabelece “tarefas muito bem definidas e claras”. A Câmara “tem uma equipa montada e pode obter melhores condições financeiras”, justificou.

O Presidente da ACE explica que “o apoio da CME concretizar-se-á, conforme protocolado, no assumir de algumas situações, que não só retiram encargos à ACE, como ainda simplificam o trabalho da ACE, na medida em que teremos mais tempo para nos debruçarmos sobre os grupos e a organização do próprio desfile”.

O desígnio final é “conseguir elevar, uma vez mais, o nome de Estarreja, dignificar a terra onde vivemos e criar condições aos grupos, associações e estabelecimentos de ensino para que continuem a participar e a crescer com o Carnaval de Estarreja”.


Carnaval social

Pela primeira vez na história do Carnaval de Estarreja, é estabelecida uma parceria com a Santa Casa da Misericórdia. Está a ser desenvolvido um projecto “fantástico com o Big Clube”, avançou Abílio Silveira. Duas dezenas de crianças e jovens do projecto de ocupação de tempos livres “Big Clube”, que funciona no Bairro Social da Teixugueira, estão a receber formação na área das artes circenses.

O grupo terá a responsabilidade de abrir os desfiles infantil e adultos com “percussão, malabarismo, bombos, gaita-de-foles”, exemplificou o Vice Presidente da CME ao realçar a “componente interessantíssima de inserção social destas crianças” para além do “bom espectáculo que se pretende proporcionar na abertura dos corsos”.

Abílio Silveira deu a conhecer a imagem do Carnaval 2006, criada pela criativa Rita Silva do Gabinete de Comunicação da CME. Dois coloridos pés representam o movimento, a dança, a agitação próprios da festa carnavalesca.

E anunciou o novo layout da página do Carnaval na internet (http://www.acestarreja.pt), que entrou ontem em funcionamento, estando “mais viva e mais alegre”. A decoração do centro da Cidade é outra das responsabilidades da CME e será feita por um artista da terra.


Festival SORRIR

Paralelamente, a cidade será palco do SORRIR – 1º Festival de Humor de Estarreja, que decorrerá entre 4 de Fevereiro a 4 de Março no Cine Teatro. É no fundo uma “extensão do Carnaval”, considera Abílio Silveira. O evento acontece “propositadamente nesta época de alegria, festa e divertimento e complementa o Entrudo”.

A ACE está ainda a estudar a possibilidade da realização do filme do Carnaval 2006, estando dependente dos apoios publicitários. “A ACE está a cumprir escrupulosamente o orçamento a que se propôs e não temos margem para investimentos”, disse Pedro Mendes fazendo o apelo ao tecido empresarial para que apoiem a iniciativa. Se a ideia avançar, o filme será exibido no grande ecrã do Cine Teatro de Estarreja.

carnaval@acestarreja.pt